Buscar
  • Diego Dornelles

O que eu aprendi visitando empresas de inovação em São Paulo

Em 2017 tive a oportunidade de participar de uma Missão Técnica para São Paulo com o objetivo de visitar empresas que trabalham com inovação. O grupo era formado por empresários, representantes do serviço público e profissionais da educação. Todos de Santa Catarina. A missão durou três dias e visitamos/conversamos com as seguintes empresas:


- Impact Hub São Paulo

- Artemisia

- Oxigênio Aceleradora

- Google Campus São Paulo

- Startup Farm

- Viva Real

- Echos - Escola de Design Thinking

- Monashees

- Cubo

- Cow Space (co-working)

- Nubank


Chama atenção o fato da maioria dessas empresas serem da área de tecnologia. Por isso, há muito essa relação de que inovação e tecnologia são a mesma coisa.

Na verdade, para as empresas de tecnologia, inovar não é uma opção; é algo fundamental.

Portanto, nada melhor do que falar sobre inovação com quem é expert no assunto.

O mais legal foi conhecer várias vertentes do ecossistema da inovação: co-workings, aceleradoras, startups, investidores e escolas - tivemos uma verdadeira aula em cada uma delas.


Por gostar de empreendedorismo com impacto social, minha maior expectativa era a Artemísia - uma referência no fomento de negócios de impacto social no Brasil. Fomos recebidos pela Diretora Maure Pessanha, que nos apresentou a empresa e depois uma aula sobre inovação social: "Entre ganhar dinheiro e mudar o mundo, fique com os dois".


Na Echos - Escola de Design Thinking, aprendi que a inovação não acontece se não mudarmos a nossa maneira de aprender, que precisamos colocar as pessoas no centro de nossas decisões para criar soluções que impactem suas vidas e que a tecnologia por si só não é a responsável pela inovação. Não entender a real necessidade das pessoas é a maior ameaça para qualquer negócio.


Mais algumas coisas que chamaram a minha atenção:

- A receptividade de todas as empresas, tanto em atenção e hospitalidade quanto em abertura das informações. Algo bem open source; todas as empresas motivadas em fazer o ecossistema crescer e sem aquele medo "vão roubar a minha ideia" ou "o concorrente não pode saber".

- Grandes empresas engajadas com o ecossistema, seja auxiliando financeiramente ou, e principalmente, com sua expertise. Cubo (Itaú), Oxigênio (Porto Seguro), Campus São Paulo (Google).

- Seguindo a linha de ambientes criativos de empresas como Google, Facebook, entre outras, os espaços da maioria das organizações visitadas são informais e descontraídos, contando com jogos, bares, cafés, frutas e até espaço para tirar um cochilo.

- Existe MUITA oportunidade se o seu propósito for realmente inovar, tanto em captação de recursos quanto em recebimento de mentorias.


Confira algumas fotos dessa experiência:



0 visualização
Cadastre seu e-mail
para receber novidades

2019 por Diego Dornelles